Benfica de Soure 0-3 Seixo de Mira

. quarta-feira, 6 de outubro de 2010
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

«O Seixo entrou com o pé direito na época 2010/2011, ao ir ao Campo da Carvalheira, em Soure, vencer a Casa do Benfica de Soure por 3 golos sem resposta, no primeiro jogo disputado esta época.

Com 2 empates nas primeiras duas jornadas, um deles na deslocação ao Estádio Municipal de Mira, casa emprestada ao Touring para esta época, o adversário prometia revelar-se uma equipa difícil de bater, como de resto tem acontecido sempre que estas equipas se defrontam na casa destes.

A nossa equipa alinhou com o seguinte onze:
Seabra; João Pedro, Pestana, Jonathan e Artur; Farturas, Zorro e Tiago; Vítor Janicas, David Natário e Luís.

Suplentes:
André Barreira; Kanga, Maranhão, Pito, Fefinha e David Patusco.

Depois do adiamento do jogo da 1ª jornada com os vizinhos do Touring e de ter folgado à 2ª jornada, foi sob um autêntico dilúvio que se iniciou este jogo o que prometia dificultar a prestação dos jogadores, essencialmente os mais tecnicistas, obrigando desde logo a que fosse privilegiado um estilo de jogo mais directo e menos apoiado.

Adaptou-se melhor a equipa da casa, detendo nos primeiros minutos algum ascendente no jogo, mas que com o passar dos minutos, se foi desvanecendo, estando o Seixo por volta dos 15 minutos já em maior controlo das operações. Com um meio campo pressionante, a recuperar a maioria das bolas que chegavam vindas do guarda-redes ou da defesa adversária, e através de processos simples, a bola começava a rondar a baliza adversária. Depois de algumas oportunidades pouco claras, o Seixo chega ao primeiro golo, por volta dos 20 minutos, na sequência de uma grande arrancada do capitão Jonathan, e envolvendo ainda outros dois jogadores até o esférico chegar a Vítor Janicas, que com uma excelente recepção se posicionou na cara do guarda-redes, colocando depois a bola junto ao 2º poste, sem dar quaisquer hipóteses de defesa. Este golo deu confiança à equipa do Seixo, que continuou a dominar o jogo, acabando por chegar ao segundo, passados 10 minutos, através de uma cabeçada de Jonathan ao 2º poste, na sequência de um pontapé de canto.

Até final da 1ª parte, continuou o maior domínio da nossa equipa, com o adversário a denotar claras dificuldades nas transições defesa-ataque. Resultado justo, portanto, ao intervalo.

No início da segunda parte, a toada de jogo manteve-se, com a nossa equipa sempre bastante tranquila na defesa, e a tentar a explorar a velocidade dos homens mais avançados, para definitivamente "matar" o jogo. Tentou no entanto reagir a equipa da casa, arriscando mais através da colocação de dois jogadores na frente, o que fez com que durante algum tempo, o Seixo tivesse dificuldade nas marcações, cometendo bastantes faltas desnecessárias à entrada da área e permitindo que o adversário começasse a acreditar que poderia alterar o rumo dos acontecimentos. No entanto, e no seguimento de uma jogada de ataque rápido conduzida por David Natário, um adversário toca a bola com o braço dentro da grande área, levando a que o árbitro assinalasse uma grande penalidade convertida por Pestana, que celebrou assim da melhor forma o nascimento da sua primeira descendente. Até final do jogo, não há a registar grandes oportunidade de golo, devendo ser realçado no entanto, um aspecto a melhorar pela equipa do Seixo, no que respeita às faltas desnecessárias, essencialmente em lances pelo ar, os quais continuaram até final, na nossa zona defensiva.

Durante esta segunda parte, entraram na equipa do Seixo, Maranhão para o lugar de Tiago, Kanga na vez de Farturas e Arthur Pito que tomou o lugar de Luís.

Vitória justa da equipa mais esclarecida e equilibrada em campo, eventualmente pesada demais, tendo em conta a prestação do adversário em algumas fases do jogo.»