Colhido mortalmente na passagem de nível

. sábado, 18 de setembro de 2010
  • Agregar a Technorati
  • Agregar a Del.icio.us
  • Agregar a DiggIt!
  • Agregar a Yahoo!
  • Agregar a Google
  • Agregar a Meneame
  • Agregar a Furl
  • Agregar a Reddit
  • Agregar a Magnolia
  • Agregar a Blinklist
  • Agregar a Blogmarks

Vítima desceu no apeadeiro, na Espadaneira, para se dirigir a pé ao Hospital dos Covões

Um homem de 40 anos morreu ontem, cerca das 7h15, colhido por um comboio na passagem de nível da Espadaneira (freguesia de S. Martinho do Bispo, Coimbra).

António Manuel, solteiro, que residia no lugar de Barreiros, freguesia de Samuel, no concelho de Soure, foi colhido por um comboio regional proveniente de Coimbra que se dirigia para a Figueira da Foz. Sofria de graves problemas de saúde, e terá viajado de comboio até à Espadaneira para ir a uma consulta ao Hospital dos Covões.

A distância, a pé, entre aquele apeadeiro e o hospital é relativamente curta, explicou uma moradora, acrescentando que muitas pessoas fazem diariamente aquele percurso.

A passagem de nível da Espadaneira não tem guarda mas dispõe de um sistema sonoro que alerta os peões para a aproximação de um comboio.
No entanto, de acordo com outro morador, o espaço de tempo entre o início do alarme sonoro e a passagem do comboio é reduzido.

Ou seja, quando o alarme começa a tocar, já o comboio está muito perto da passagem para peões. Estes têm assim de se apressar a atravessar a linha para não serem colhidos, o que se torna mais complicado no caso de pessoas com dificuldades de locomoção. Por exemplo, segundo o mesmo morador, entre o soar do alarme e a passagem do comboio Alfa no local decorrem cerca de 18 segundos.

Para a Refer, o que ontem se passou foi «um “atravessamento” de uma passagem de nível pedonal que está devidamente sinalizada», e fonte da empresa ferroviária lembrou que no local existem também “labirintos”, que criam obstáculos de modo a que as pessoas se apercebam da aproximação dos comboios.

A Refer informou que a circulação ferroviária esteve interrompida nos dois sentidos e foi retomada na totalidade às 9h15.
A Polícia de Segurança Pública confirmou que a vítima atravessava a passagem para peões quando foi colhida e projectada para fora da linha de comboios.

Por sua vez, INEM informou que foi alertado às 7h33 e que seguiu para o local uma ambulância e a Viatura Médica de Emergência (VMER) do Hospital dos Covões.

In diariocoimbra.pt